sexta-feira, 14 de abril de 2017

A Ressurreição de Jesus


Josep Rossello

A crença na ressurreição de Jesus é bem diferente da crença em mitos. Ela é apoiada em várias evidências. Vamos conferir 3 fatos bem estabelecidos historicamente cuja melhor explicação é a ressurreição de Jesus.
FATO Nº 1
A morte de Jesus por crucificação

Fontes: Fontes antigas, cristãs e não-cristãs, relatam a crucificação. Além dos Evangelhos, os escritos de Josefo (historiador judeu), Tácito (historiador romano), Luciano de Samósata (satirista grego) e Mara Bar-Serapião (filósofo estoico) também registram a crucificação de Jesus.
A opinião médica profissional: A opinião médica profissional concorda que Jesus certamente morreu como resultado da crucificação. A maioria concorda que Ele morreu por asfixia (falta de oxigênio), e o entendimento histórico da crucificação suporta essa conclusão.
As chances de sobreviver à crucificação são extremamente baixas: Por vezes, a crucificação já foi considerada uma das piores formas de morte. Geralmente era precedida de tortura, principalmente por açoites com chicotes.  O chicote utilizado pelos romanos chegava a expor veias e artérias da vítima. Depois disso, ela era obrigada a carregar a parte horizontal da cruz. E então era pregada, e ficava pendurada lá, em dor excruciante.
FATO Nº 2
O túmulo vazio

O fator Jerusalém: Jesus foi executado e sepultado publicamente em Jerusalém. E sua ressurreição foi proclamada lá, publicamente. Os inimigos de Jesus, romanos ou judeus, só precisariam ir ao túmulo, constatar que o corpo ainda estava lá e expô-lo publicamente pelas ruas de Jerusalém. Seria o fim do boato da ressurreição. Entretanto, não foram capazes de fazer isso; o túmulo estava vazio.
Os inimigos reconheceram o túmulo vazio: Os próprios inimigos de Jesus reconheceram que o túmulo estava vazio. Os líderes judeus diziam que os discípulos de Jesus haviam roubado seu corpo. Se o corpo estivesse no túmulo, não precisariam dizer que o corpo tinha sido roubado.
Testemunho das mulheres: Mulheres são listadas como as primeiras testemunhas. Nos tempos do século I, se alguém quisesse inventar uma história, certamente não colocaria mulheres como testemunhas. Por quê? Na cultura judaica, o testemunho das mulheres não tinha a mesma credibilidade que o testemunho de um homem. Isso reforça a veracidade do relato.
FATO Nº 3
As aparições de Jesus

Aparições de Jesus aos discípulos: Paulo escreve aos coríntios que Jesus apareceu a mais de 500 pessoas de uma só vez, ele afirma que a maioria ainda vive. Ou seja, ele estava dizendo que seu testemunho podia ser confirmado.
Jesus aparece aos céticos e inimigos: Não foram apenas os discípulos de Jesus que tiveram a experiência de ver Jesus ressuscitado. Inimigos e céticos também o viram e mudaram suas crenças. Paulo e Tiago: um perseguia os cristãos e o outro não cria no próprio irmão. Então viram e creram.
Os discípulos realmente acreditavam no que diziam: Se Jesus não tivesse aparecido aos discípulos, não havia razões para inventar a ressurreição. Pois chegaram ao ponto de serem açoitados e também mortos por sua fé.
A melhor explicação dos fatos
Levando em consideração todas essas evidências, qual a melhor explicação para esses três fatos? Na história, procuramos a explicação com maior probabilidade de certeza. Queremos dizer que a melhor explicação para os fatos é a ressurreição de Jesus. Nenhuma outra explicação naturalista satisfaz os fatos.
Veja o que conclui o erudito em estudos do Novo Testamento N. T. Wright:
É por isso que, como um historiador, eu não posso explicar o surgimento do Cristianismo primitivo, a menos que Jesus tenha ressuscitado, deixando para trás um sepulcro vazio.

Que diferença faz se Jesus ressuscitou?
Se Jesus ressuscitou dos mortos, isso confirma seus ensinamentos. Se Jesus ressuscitou, Ele confirma que é o verdadeiro Deus, e que sua morte foi em nosso lugar, para que fôssemos perdoados. E sua ressurreição nos dá a certeza de que a morte não é o fim, mas que há esperança e vida para aquele que crê. Disse-lhe Jesus: "Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá...” (João 11:25)       



Você crê?

...

sexta-feira, 31 de março de 2017

PÁSCOA

SALVADOR RESSURRETO



Jesus morreu e, ressuscitou dos mortos Três dias após se submeter à punição por nossos pecados na cruz, Jesus, sem pecados, dominou a morte ao ressuscitar dos mortos e quebrar o poder do pecado. Foi este sacrifício final de sangue que abriu o único caminho para que tivéssemos um relacionamento com Deus agora e um lar com Ele para sempre.
“…Cristo morreu por nossos pecados […] foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia…” (1 Coríntios 15:3-4). Ele prometeu preparar um lugar para nós (João 14:1-4), e Ele um dia retornará. Um dia estaremos com nosso Salvador ressurreto.
É por isso que todos os anos na época da Páscoa — na verdade, todos os dias do ano — temos motivo para celebrar a ressurreição de nosso Salvador. “Bendirei o Senhor em todo o tempo, o seu louvor estará sempre nos meus lábios” (Salmo 34:1).
FELIZ PÁSCOA 



quarta-feira, 8 de março de 2017

PORQUE DEUS CRIOU A MULHER?
Por Rosana Trevisoli Porte e Wilson Porte


Tudo o que Deus cria, ele cria com um propósito. Quando ele criou os céus, não foi para ser habitado pelos peixes. Quando ele criou os mares, não foi para que nele construíssemos cidades. Assim nós também; quando criamos alguma coisa, sempre criamos com um propósito;
Exemplo: O que acontecerá se nós quisermos triturar pedras em um liquidificador? Ele ficará todo danificado, pois não foi feito para triturar pedras, mas frutas e alimentos. O mesmo se nós colocarmos a louça suja dentro de uma máquina de lavar roupa, não dará muito certo, pois esta foi criada com o propósito de lavar roupa!
ASSIM, TAMBÉM, quando Deus criou a mulher, ele a criou com um propósito. Vamos ver com qual propósito ele a criou.
MULHERES PODEM TRABALHAR?
A Bíblia fala de várias mulheres que trabalhavam. Todas elas faziam o que faziam pensando em agradar a Deus com seu trabalho. Atos 9.36-39: Dorcas era uma espécie de costureira que abençoava a vida de pessoas com o fruto do seu trabalho na cidade de Jope. Romanos 16.1-6: Duas mulheres são mencionadas como pessoas que trabalhavam para a igreja em Roma (Febe e Maria).
Em 1Timóteo 5.9-10, quando Paulo instrui quais viúvas poderiam ser ajudadas pela igreja. Um dos pré-requisitos, é que elas tenham sido mulheres que tiveram boas obras, ou seja, boas ações, bons “serviços” em favor do próximo. Com isso, a Bíblia deixa claro para nós que as mulheres não devem apenas ficar em casa realizando serviço do lar, mas outros serviços cujo foco seja abençoar vidas.
COMO ELAS DEVEM SER NO LAR?
Em Gênesis 2.18, Deus apresenta a principal razão de ter criado a mulher: “Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea”.
A mulher foi criada por Deus para ser um auxílio ao homem, assim como o próprio Deus é um auxílio ao homem (Salmo 60.11: “Presta-nos auxílio na angústia, pois vão é o socorro do homem.” e Salmo 63.7: “Porque tu me tens sido auxílio; à sombra das tuas asas, eu canto jubiloso”).
Só Deus e a mulher são chamados de “auxiliadores” na Bíblia. Deus para a humanidade, e a mulher para se marido e família.
Para a mulher, não é pouca coisa ser comparada com Deus em sua missão. Muitas coisas podem atrapalhar a missão da mulher em seu serviço no lar.
A Bíblia não é contra mulheres trabalharem, mas é contra esse espírito moderno de competição entre homens e mulheres pelo mercado de trabalho, ou, por essa importância exagerada que muitas mulheres dão às suas carreiras profissionais, deixando de ser um auxílio espiritual para seus filhos e maridos (lembre-se dos exemplos do liquidificador e da máquina de lavar roupas).
Em 2Timóteo 1.3-5, Paulo fala com alegria do papel da avó e da mãe de Timóteo em sua educação e auxílio espiritual no caminho do Senhor.
COMO ELAS DEVEM SER NO EVANGELHO?
A Bíblia fala honrosamente de algumas mulheres, mostrando como suas vidas agradaram a Deus. Uma delas é Ana, a profetisa de Jerusalém. Em Lucas 2.36-38, fala de como ela tinha uma vida de oração e de jejuns.
Em 1Pedro 3.3-4, a Bíblia fala sobre como as mulheres devem se preocupar mais com o seu interior do que com seu exterior. Isso não significa que as mulheres não devam se preocupar com sua aparência, mas que elas devem dar tanto ou mais importância para o que Deus está vendo em seus corações do que para o que as pessoas estão vendo em seu exterior.
CONCLUINDO
Muitas outras coisas poderiam ser ditas sobre o papel da mulher.
Estas são apenas algumas informações que a Palavra de Deus nos dá para que as mulheres possam viver de um modo agradável a Deus e que não se desviem daquilo que Deus espera delas. Agradar e obedecer a Deus traz muita alegria ao coração de qualquer pessoa;
Enquanto as mulheres, como mulheres, estiverem vivendo do modo com Deus espera, Deus as sustentará e abençoará, com muita alegra, pois elas estarão vivendo para aquilo que foram criadas.

Honrar a Deus e viver segundo os propósitos de Deus só traz alegria ao nossos corações.


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Por que Deus não aprova o Carnaval?

"Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição, mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna" (Gálatas 6:8).
O Brasil é considerado no mundo todo como o "país do carnaval". Existe até uma música que diz: "Atrás do Trio Elétrico só não vai quem já morreu." O Carnaval está relacionado à alegria, liberdade e muita curtição, mas nós sabemos que os excessos cometidos nesses dias de folia causam muita tristeza. A alegria dura poucos dias, mas a tristeza vinda do pecado pode durar a vida toda. A prostituição, o adultério e as drogas destroem vidas preciosas e muitos guardam como lembranças do Carnaval as doenças sexuais, gravidezes indesejadas e muitas feridas na alma. Devemos considerar que muitas festas podem ser perigosas, principalmente quando envolvem bebidas alcoólicas e drogas, mas o Carnaval com certeza é a pior delas. Por não ser uma festa familiar, o Carnaval afasta a pessoa, principalmente o jovem, do seu lar, o colocando num ambiente onde tudo é permitido. Por isso você deve entender a origem desta festa:
Carnaval, provavelmente, vem da palavra latina "carnelevarium" ou "eliminação da carne", que começa no ano novo, geralmente no Epifânio, 6 de janeiro, e termina em fevereiro com a Mardi Gras (terça-feira gorda) na terça-feira da penitência”. (The Grolier Multimedia Encyclopedia). O Carnaval tem suas raízes nas festas gregas realizadas por volta do ano 600 antes de Cristo, como forma de agradecimento aos deuses pela produção agrícola, mas o nome atual e sua popularização se devem, principalmente, à iniciativa da Igreja Católica Romana, que adotou a festa no século VI d.C. como uma espécie de despedida aos prazeres da carne nos dias que antecedem à quaresma. Nos quarenta dias de penitência, inspirados no jejum de Cristo no deserto, o católico não poderia comer carne. Por isso, realizava-se, nos três dias antes da quarta-feira de cinzas, o "carne vale", que em latim significa "adeus à carne". Era a oportunidade para que fosse consumida a carne e outros alimentos que, se guardados, apodreceriam durante a quaresma. Sabendo-se que a quaresma seria um tempo de santificação para o católico, o Carnaval foi adquirindo a conotação de um período de liberação nas questões morais.
Com o passar dos séculos, o aspecto religioso enfraqueceu, mas a festa continuou com folias, brincadeiras, libertinagem, música e dança. As fantasias com máscaras escondem a identidade dos foliões, dando uma certa sensação de liberdade, podendo brincar sem ser reconhecido pelos outros. Cria-se então a ocasião propícia para expressões que não seriam aceitas no cotidiano. Assim, tornou-se muito comum a prática dos homens se vestirem de mulher e vice-versa. No Brasil, a festa reforçou seu aspecto artístico com desfiles de escolas de samba e carros alegóricos, mas por outro lado, enfatizou o erotismo, com fantasias que expõem o corpo, principalmente das mulheres.
São três dias de folia, e no final deles muita tristeza: famílias destruídas por causa da infidelidade, mortes por overdose de drogas, aumento nas mortes e mutilações por acidentes de trânsito, assaltos, grande número de homicídios por brigas, vários por uso de álcool e drogas por adolescentes, jovens, adultos... Quantas moças perdem sua virgindade na loucura do Carnaval e ficam grávidas prematuramente? Quantas crianças roubadas de sua inocência e pureza? Quanta violência... Quanta loucura em nome do prazer! Um prazer passageiro, que não é completo, que não satisfaz as necessidades humanas, pelo contrário, só aumenta a solidão, as frustrações e traz o peso da culpa. No fim de tudo, a alegria se transforma em tristeza.
Carnaval é uma festa onde há licença para pecar e por isso Deus não aprova. Pois a Bíblia diz que o resultado do pecado é a morte (Rm 6:23), e nós cristãos, não podemos de maneira alguma participar disso. A Bíblia diz que nós, cristãos, nos tornamos novas criaturas, com uma nova natureza, e agora devemos buscar a santificação, pois o corpo já não é nosso - ele se tornou morada do Espírito Santo (1 Tessalonicenses 4:3,4) Por isso eu e você não podemos nos conformar com uma festa que é sinônimo de pecado e alegria passageira, onde Deus fica de fora.
O Carnaval é uma festa imprópria para todos, mas principalmente para o cristão. Alguns vão com o propósito de evangelizar e não podemos proibir o evangelismo, mas devemos alertar que é um trabalho arriscado. Todo cuidado é pouco. Alguns jovens vão com a desculpa de uma diversão inocente. Cuidado! É muito difícil alguém entrar no esgoto e sair sem se sujar. Nossa alegria não depende de festas. Não devemos confundir alegria com felicidade e nem sexo com amor. Em Cristo está o nosso prazer e a nossa alegria, que não termina na Quarta-Feira de Cinzas, mas continua para sempre!
"Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição, mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna" (Gálatas 6:8).
No livro de Isaías (leia abaixo) vemos uma advertência sobre festas pagãs da época que eram muito parecidas com o Carnaval atual. Esta festa apresenta muitos atrativos, inclusive, para os jovens cristãos, porque hoje muitas coisas são aceitas sob o pretexto de que "não tem nada a ver". Mas cuidado, pois essa festa tem sido um caminho de destruição para muitas vidas. Veja:
"“Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice e continuam até alta noite, até que o vinho os esquente! E harpas e alaúdes, tamboris e gaitas, e vinho há nos seus banquetes, e não olham para a obra do Senhor, nem consideram as obras das suas mãos. Portanto, o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento, os seus nobres terão fome, e a sua multidão se secará de sede. Portanto, o inferno grandemente se alargou, e se abriu a sua boca desmesuradamente; e para lá descerão o seu esplendor, e a sua multidão, e a sua pompa, e os que entre eles se alegram. Então, o plebeu se abaterá, e o nobre se humilhará; e os olhos dos altivos se humilharão"” (Isaías 5.11-15).

quarta-feira, 5 de outubro de 2016


CULTOS DE ORAÇÃO: Venha orar conosco!


Motivar cristãos a orar? Parece estranho, não é? Entre todas as pessoas que não precisariam de motivação para orar, os cristãos não precisariam. Contudo, por várias razões, precisamos ser motivados a orar mais freqüentemente e mais fervorosamente. Há várias passagens que ajudarão a encorajar-nos a orar melhor, cada uma delas com a sua própria instrução. Contudo, para mim uma passagem sobressai – 1 Timóteo 2:1-7: “Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda a piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve prestar em tempos oportunos. Para isto fui designado pregador e apóstolo (afirmo verdade, não minto), mestre dos gentios na fé e na verdade.”

Deus sabe o que é melhor para nós (Deuteronômio 6:24). Ele sabe o que precisamos antes que o peçamos a ele (Mateus 6:32). Então, por que ele nos instrui a orar? Porque ele sabe que é melhor para seus filhos comunicar regularmente suas necessidades e desejos a ele! Agradamos a Deus quando oramos como deveríamos; o que isto sugere se oramos de outro modo? Nossa meta como cristãos é “seu inteiro agrado” (Colossenses 1:10; 2 Coríntios 5:9). Ele sabe os benefícios que recebemos da oração e se agrada quando tiramos vantagem plena das bênçãos que ele oferece quando oramos com fé.

Cristo é nosso Mediador com Deus. Sua mediação foi inicialmente cumprida em sua crucificação, mas estende-se além disso. Temos um simpático Sumo Sacerdote que nos ajudará (Hebreus 2:10-18). Ele vive sempre para fazer intercessão por aqueles que vêm a Deus através dele (Hebreus 7:22). Assim como Jesus foi ouvido em sua oração (Hebreus 5:7), assim Deus promete ouvir e responder às orações de todos os seus filhos fiéis (1 Pedro 3:12). A permanência ainda de Cristo como nosso Mediador serve como incentivo a orarmos com frequência  fervorosamente e fielmente.

Encerro com um incentivo final. “Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos, ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém!” (Efésios 3:20-21).


Venha orar conosco. Estamos reunidos toda quarta com o propósito de buscar a Deus em oração. Estaremos intercedendo por sua família, seu casamento, seus filhos, suas finanças, seus planos. Pois a vitória do crente está no permanecer em oração.