sexta-feira, 14 de abril de 2017

A Ressurreição de Jesus


Josep Rossello

A crença na ressurreição de Jesus é bem diferente da crença em mitos. Ela é apoiada em várias evidências. Vamos conferir 3 fatos bem estabelecidos historicamente cuja melhor explicação é a ressurreição de Jesus.
FATO Nº 1
A morte de Jesus por crucificação

Fontes: Fontes antigas, cristãs e não-cristãs, relatam a crucificação. Além dos Evangelhos, os escritos de Josefo (historiador judeu), Tácito (historiador romano), Luciano de Samósata (satirista grego) e Mara Bar-Serapião (filósofo estoico) também registram a crucificação de Jesus.
A opinião médica profissional: A opinião médica profissional concorda que Jesus certamente morreu como resultado da crucificação. A maioria concorda que Ele morreu por asfixia (falta de oxigênio), e o entendimento histórico da crucificação suporta essa conclusão.
As chances de sobreviver à crucificação são extremamente baixas: Por vezes, a crucificação já foi considerada uma das piores formas de morte. Geralmente era precedida de tortura, principalmente por açoites com chicotes.  O chicote utilizado pelos romanos chegava a expor veias e artérias da vítima. Depois disso, ela era obrigada a carregar a parte horizontal da cruz. E então era pregada, e ficava pendurada lá, em dor excruciante.
FATO Nº 2
O túmulo vazio

O fator Jerusalém: Jesus foi executado e sepultado publicamente em Jerusalém. E sua ressurreição foi proclamada lá, publicamente. Os inimigos de Jesus, romanos ou judeus, só precisariam ir ao túmulo, constatar que o corpo ainda estava lá e expô-lo publicamente pelas ruas de Jerusalém. Seria o fim do boato da ressurreição. Entretanto, não foram capazes de fazer isso; o túmulo estava vazio.
Os inimigos reconheceram o túmulo vazio: Os próprios inimigos de Jesus reconheceram que o túmulo estava vazio. Os líderes judeus diziam que os discípulos de Jesus haviam roubado seu corpo. Se o corpo estivesse no túmulo, não precisariam dizer que o corpo tinha sido roubado.
Testemunho das mulheres: Mulheres são listadas como as primeiras testemunhas. Nos tempos do século I, se alguém quisesse inventar uma história, certamente não colocaria mulheres como testemunhas. Por quê? Na cultura judaica, o testemunho das mulheres não tinha a mesma credibilidade que o testemunho de um homem. Isso reforça a veracidade do relato.
FATO Nº 3
As aparições de Jesus

Aparições de Jesus aos discípulos: Paulo escreve aos coríntios que Jesus apareceu a mais de 500 pessoas de uma só vez, ele afirma que a maioria ainda vive. Ou seja, ele estava dizendo que seu testemunho podia ser confirmado.
Jesus aparece aos céticos e inimigos: Não foram apenas os discípulos de Jesus que tiveram a experiência de ver Jesus ressuscitado. Inimigos e céticos também o viram e mudaram suas crenças. Paulo e Tiago: um perseguia os cristãos e o outro não cria no próprio irmão. Então viram e creram.
Os discípulos realmente acreditavam no que diziam: Se Jesus não tivesse aparecido aos discípulos, não havia razões para inventar a ressurreição. Pois chegaram ao ponto de serem açoitados e também mortos por sua fé.
A melhor explicação dos fatos
Levando em consideração todas essas evidências, qual a melhor explicação para esses três fatos? Na história, procuramos a explicação com maior probabilidade de certeza. Queremos dizer que a melhor explicação para os fatos é a ressurreição de Jesus. Nenhuma outra explicação naturalista satisfaz os fatos.
Veja o que conclui o erudito em estudos do Novo Testamento N. T. Wright:
É por isso que, como um historiador, eu não posso explicar o surgimento do Cristianismo primitivo, a menos que Jesus tenha ressuscitado, deixando para trás um sepulcro vazio.

Que diferença faz se Jesus ressuscitou?
Se Jesus ressuscitou dos mortos, isso confirma seus ensinamentos. Se Jesus ressuscitou, Ele confirma que é o verdadeiro Deus, e que sua morte foi em nosso lugar, para que fôssemos perdoados. E sua ressurreição nos dá a certeza de que a morte não é o fim, mas que há esperança e vida para aquele que crê. Disse-lhe Jesus: "Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá...” (João 11:25)       



Você crê?

...