ARTIGOS


Texto: Salmo 84:1-12
Introdução



Este lindo salmo das Escrituras Sagradas nos mostra algumas características que devemos ter. Quando colocarmos tais características em prática nas nossas vidas, as consequências serão bênçãos maravilhosas e muito preciosas. Vejamos quais são estas características e quais são estas bençãos.
I.) Características que devemos ter
1.) Desejar estar na presença de Deus – v. 1-4,10
 As palavras “tabernáculos” (v.1), “átrios” (v.2) e “altares” (v.3), podem significar na Nova Aliança a presença de Deus e a comunhão com os santos.
2.) Fazer de Deus a nossa força – v. 5a
 A palavra “força” significa vigor, energia.
3.) Ter uma vida interior em ordem – v. 5b

 “… em cujo coração se encontram os caminhos aplanados …”

“Coração” aqui aponta para o interior, a vida interior. “Caminhos aplanados” aqui fala de alinhamento, nivelamento. Ver SI 24.3-4; precisamos estar com a vida interior e exterior (relacionamentos, protestos, dívidas) em ordem, porém a vida exterior em ordem procede da vida interior em ordem.
4.) Andar na Retidão – v. 11

“Retidão” é a qualidade de reto. “Reto” que não tem curvatura ou sinuosidade (irregularidade), que segue sempre a mesma direção; direito; justo; íntegro.

5.) Colocar a nossa confiança em Deus – v. 12

Não devemos confiar em outros, e nem em nós mesmos. Ex.: Reis de Israel ou Judá que muitas vezes preferiam confiar em reis e exércitos de nações vizinhas ao invés de confiar em Deus. “Confiar” significa esperar, descansar.

II.) Bençãos alcançadas pelos que têm tais características
1.) São pessoas felizes – v. 4,5,12

“Bem-aventurado” significa feliz, quão feliz. Não são infelizes, são felizes, contentes, alegres.

2.) Transformam seus problemas em bençãos – v. 6

“… o qual, passando pelo vale árido, faz dele um manancial…” Vale de Baca, não se trata de um lugar específico, sendo antes uma referência a um lugar de lágrimas (Baca vem da raiz verbal que significa “chorar”) ou a um vale de desolação.
 “… de bênçãos o cobre a primeira chuva …” As chuvas também fazem-no ficar atapetado de relva e flores.
 Ao invés de se lastimarem das lutas, vêm nelas uma oportunidade de aprender de Deus, de crescerem na fé e em maturidade.

3.) Progridem espiritualmente – v. 7a

 “Vão indo de força em força …” A ideia é de um peregrino que vai vencendo as dificuldades na caminhada até chegar ao seu destino. “Cada um deles aparece diante de Deus em Sião” O nosso destino, a nossa Sião é o Céu !
 Ver Pv 4.18; Is 40.31

4.) Podem adentrar à presença de Deus em oração – v. 8-9

Podem clamar com intensidade sabendo que Deus os ouvirá !

5.) Têm Deus como sol e escudo – v. 9,11a

 “Sol” aqui significa luz, alegria, calor, energia.
“Escudo” significa proteção. Ele nos protege, é a nossa proteção.

6.) Recebem de Deus graça, glória, provisão e suprimento – v. 11b

 “Graça”, riquezas do seu favor; “Glória”, luz da sua presença; “Provisão e Suprimento”, “…nenhum bem sonega aos que andam retamente”.

# em tempos de  crise confie nas benção de Deus 




“QUAL É O OBJETIVO DA SUA VIDA???”

Dependendo da sua situação emocional, familiar, conjugal, financeira, física, sua resposta a essa pergunta, pode ir desde um desabafo revoltado, a lamentações, ou júbilos de alegria, e até mesmo mais perguntas. Muitas pessoas, infelizmente, olham para a sua existência apenas com base nos prazeres que ela usufrui, ou mesmo, nos sofrimentos que ela constantemente suporta. Ambos, prazeres e sofrimentos neste mundo, porém, são passageiros... precisamos encontrar a resposta em algo permanente.

Na verdade a resposta bem definida para a questão acima – qual o objetivo da sua  vida?, não é muito popular. Essa questão nos incomoda, mais cedo ou mais tarde, teremos que resolvê-la. Filósofos, teólogos, ateus, religiosos, cientistas, jovens e idosos, homens e mulheres, sabem que a importância de encontrar o objetivo da vida, pode dar um norte significativo para sua existência. E assim, encontrar a alegria que tanto os corações anseiam. 

Convidamos você a reservar alguns minutos, para ler o que temos a dizer a respeito desse assunto nesse folheto. Antes de rejeitar o conteúdo, pois se trata de religião – ‘e cada um tem a sua’, você precisa lembrar que não custa nada tentar encontrar a resposta a essa questão que corrói qualquer um, até mesmo quem não se importa com ela, na verdade desistiu de buscar o significado de sua vida. 

Muitas pessoas adiantam a rejeição da religiosidade por causa dos maus exemplos das igrejas em nosso país. Vou te dar uma razão, apenas uma, para ler o que estamos expondo aqui. Já que você não pode confiar muito nos religiosos da atualidade, o que dizer de Jesus Cristo e Sua Palavra? Ele convida os seus discípulos a aprenderem dele, caminhar com ele e segui-lo. Veja o que ele disse: 

“Vinde a mim... aprendei de mim...” (Mt 11.28-30). 

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (Jo 14.6).

A RAZÃO DA NOSSA EXISTÊNCIA

Há alguns séculos atrás, um pensador cristão escreveu que ‘Deus nos criou para ele, e enquanto não descansarmos em Deus, nosso coração ficará inquieto.’ (Confissões de Agostinho). Ele percebeu bem. Parece que há um vazio imenso no coração humano. ‘Dentro do homem há um grito’. Sim, é a busca de significado. Mas, por que existe essa busca? Onde ela nasceu? Um seguidor fiel de Jesus Cristo da Igreja do Novo Testamento apontou a raiz do problema, inspirado por Deus, ele escreveu:

“Todos pecaram e carecem [estão destituídos] da Glória de Deus.”
(Romanos 3.23).

Houve algo que destituiu a humanidade do seu bem mais precioso, fazendo nossa natureza carecer, necessitados de algo que nos dá significado - não o dinheiro, não de amizades, fama, reconhecimento, ‘farras’, não. Segundo foi dito pelo autor inspirado, o pecado contra Deus, nos esvaziou, drenou, roubou, destituiu-nos daquilo que era mais precioso... Daquilo, que nos enche de alegria santa, de sentido eterno, e que manteria nossa consciência em pleno prazer piedoso – isto é, fomos destituídos da GLÓRIA DE DEUS! 

“Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.”  (Rm 11.36).  

“Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas.”
(Ap 4.11).
  
Mas como pode ser isso? A glória de outro – isto é de Deus - é o sentido da minha vida?

Sim, é exatamente isso!!!

Um grupo de teólogos cristãos, que formularam o Catecismo Maior de Westminster apresentou a questão e a resposta com essa objetividade:  “1. Qual é o fim supremo e principal do homem?  Resposta. O fim supremo e principal do homem é glorificar a Deus e alegar-se nele para sempre.  Rom. 11:36; 1 Cor. 10:31; Sal. 73:24-26; João 17:22-24.”

Um profeta de Deus, escreveu algo que pode iluminar ainda mais esse assunto em nossas mentes: E levantou-me o Espírito, e ouvi por detrás de mim uma voz de grande estrondo, que dizia: Bendita seja a glória do SENHOR, desde o seu lugar.” (Ez 3.12). Mas para que essa verdade seja revelada na alma, nas aspirações mais profundas do ser, dando o sentido pretendido ao nosso espírito, levando-nos a saber como isso se processa em nossa vida espiritual, moral e futura - precisamos que Cristo, por Seu Espírito Santo ilumine nosso entendimento, por remover de nós a culpa judicial do pecado, nos dando uma nova vida.

“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.”(Romanos 5:1,2)

“Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.” (Romanos 8:1,2).

Pela fé na Palavra de Deus, o Espírito pode te conduzir a esse estado de comunhão com Deus. Arrependa-se de seus pecados, confessando-os a Cristo, e confie Nele para revelar a Sua Gloria, a glória de Deus (Jo 17.5,24). Viver com essa percepção espiritual, nos coloca no lugar correto, aos pés do Senhor, usufruindo de seu inesgotável bem e  por nos tornar Seus filhos. E tendo a bendita esperança de habitar com Ele eternamente (Ap 22.1-5).

A FALSIDADE DA - ‘TEOLOGIA’ DA PROSPERIDADE E DO ÓLEO ‘UNGIDO’

Muitas igrejas, ditas evangélicas estão deturpando a mensagem do Evangelho, e levando as pessoas a crerem que o TER, o POSSUIR, riquezas, saúde, bens, etc. é o sentido de ser cristão. Nada mais falso do que isso! A Teologia da Prosperidade é uma das mentiras mais sagaz que o diabo tem espalhado em muitas denominações religiosas hoje. Como vimos nos textos bíblicos, é a Glória de Deus em Cristo que nos traz sentido permanente e piedoso. Na verdade, Cristo Jesus nos advertiu contra os perigos das riquezas (Mt 6.24). A vida de muitos hoje nas igrejas tem sido mais estimuladas ao materialismo, do que a fé e a devoção pela glória de Cristo. As pregações estão mais voltadas para o homem e seus anseios do que para a glória de Deus.

Ainda outros têm acreditado que a espiritualidade pode ser adquirida, de alguma forma, por meio de amuletos evangélicos, como objetos ungidos, óleo ‘ungido’, sal grosso, banho de luz, ou restaurando as práticas cerimoniais do Velho Testamento, abolidas em Cristo (Hb 7-10). O NT diz de ungir enfermos com óleo (Tg 5.14), não que o óleo seja ungido; ou mesmo ungir objetos, como chave do carro, documentos, etc. Com isso, a vida pela fé está sendo trocada pelos objetos ungidos, carregados de misticismo. Essa é uma dura e triste realidade! Um desvio da simplicidade do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Convidamos você a ter um conhecimento mais pleno das verdades do Evangelho de Cristo, lendo sua Bíblia, e se desejar por um curso de discipulado bíblico conosco. Verificando na Escritura Sagrada a verdade da Cruz de Cristo. Que nos dá paz com Deus, nos concedo o fruto do Espírito Santo (Gl 5.22-25).






Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,
E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
1 Coríntios 15:3,4

A Ressurreição e eu

"Ao comerem, estejam prontos para sair; cinto no lugar, sandálias nos pés e cajado na mão. Comam apressadamente. Esta é a Páscoa do Senhor. Quando os seus filhos lhes perguntarem: ‘O que significa esta cerimônia?”, respondam-lhes: É o sacrifício da Páscoa ao Senhor, que passou sobre as casas dos israelitas no Egito e poupou nossas casas quando matou os egípcios’” (Êx 12.11,26,27)

 A salvação do povo hebreu é obra de Deus. E este acontecimento extraordinário na vida deste povo é relembrado através da cerimônia da Páscoa. Os judeus deviam sacrificar um cordeiro macho e sem defeito para celebração desta festa. O apóstolo Paulo diz que Cristo é o nosso Cordeiro pascal (1Cor 5.7), mostrando que Ele havia feito o sacrifício de uma nova aliança. Jesus Cristo, o nosso cordeiro Pascal, não permaneceu morto, Ele ressuscitou! O meu sentimento diante da Páscoa depende do modo como encaro este fato.
Num domingo, algumas mulheres foram ao sepulcro de Jesus levando especiarias aromáticas para o corpo sem vida do seu mestre, mas foram surpreendidas pelo túmulo vazio (Luc 24). Jesus venceu a morte, mas muitos não acreditaram. As autoridades que haviam sacrificado o Cordeiro de Deus espalharam a notícia de que os discípulos tinham furtado o seu corpo (Mt 28.13). Desde então, muitas teorias surgiram tentando desacreditar a ressurreição de Cristo.
Quando vejo como a vida dos discípulos de Jesus foi mudada depois desse fato, quando observo um Pedro covarde que nega o seu mestre, sem nenhum temor, desafiando as autoridades, quando leio que com grande poder os apóstolos continuavam a testemunhar da ressurreição, apesar de toda perseguição (Atos 4.33), não consigo acreditar que os discípulos sacrificassem suas próprias vidas por uma farsa.
O apóstolo Paulo diz que Cristo morreu pelos nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou no terceiro dia, que apareceu a Pedro e depois aos doze. E que depois disso apareceu a mais de 500 irmãos, de uma só vez. Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação e também inútil a nossa fé (1Cor 15.4-6, 14).
O que significa a Páscoa para mim? A resposta depende de como eu vejo a ressurreição de Jesus Cristo. Paulo afirma:
” Se você confessar com a sua boca que Jesus é seu Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo”
(Rom 10.9).
Assim como para os judeus a Páscoa significava a salvação da escravidão no Egito, também para mim ela representa a minha salvação; não da escravidão no Egito, mas da escravidão do pecado.

A minha missão agora é levar o verdadeiro significado da Páscoa a todas as nações, sabendo que o Cristo ressuscitado estará comigo até o fim dos tempos (Mateus 28.20). Estamos diante da oportunidade de levar a verdadeira Páscoa a quem ainda não a conhece. Aqueles que cercam você pensam o que a respeito da páscoa?



A IGREJA BATISTA 
As Concepções Landmarkistas

Essa é uma polêmica atual entre algumas Igrejas Batistas. Teriam os Batistas se originado a partir da Reforma do século 16?... 0u, a Igreja Batista teria origens muito mais antigas, remontando aos tempos apostólicos?
Nós, batistas independentes, conhecemos bem a resposta: “Somos oriundos da Igreja Apostólica, aquela instituída pelo próprio Senhor Jesus, em Jerusalém, ainda no primeiro século.” Essa é a resposta que nos foi ensinada. Mas será ela a palavra final acerca de quase dois mil anos de História da Igreja?
A noção de que a Igreja Batista é a Igreja iniciada ainda durante os dias do Novo Testamento chama-se Landmarkismo, numa referencia a Provérbios 22.28. O Landmarkismo pretende evocar certa mobilização contra o que ele mesmo julga como uma “alteração de doutrinas e valores antigos”.
As concepções Landmarkistas surgiram durante o século 19, a partir dos escritos de um pastor batista chamado James Robinson Graves (1820-1893). Atualmente o ponto Landmarkista de maior destaque é a teoria de sucessão eclesiástica, que consiste na crença de que as Igrejas Batistas descendem em uma linha sucessória ininterrupta através dos séculos, retroagindo ate as Igrejas fundadas no Livro de Atos dos Apóstolos. O responsável por “documentar” tal trajetória Batista é um livro chamado O Rastro de Sangue, a história das igrejas batistas desde o tempo de Cristo, seu fundador, ate os dias atuais. (publicado pela primeira vez em 1930).
A teoria da sucessão eclesiástica aponta para a grande questão de J. M. Graves, a relação entre cristãos, e mais importante, entre Igrejas Batistas e outras Igrejas Reformadas. O Pr. Graves parece ter concluído que, devido às diferenças, batistas e reformados não poderiam compartilhar a mesma origem.
É essa a base da atual polêmica sobre a origem dos Batistas. Concluindo, e tentado dar uma resposta à questão inicial, gostaria de propor alguns pontos para reflexão e pesquisa:
É notório, pela própria natureza do argumento, que o Landmarkismo nasceu como um movimento de reação. Reação contra o que? Contra os laços que havia entres as Igrejas Reformadas no sul dos Estados Unidos durante os anos 1800. O fato é que, na história antecedente e durante o próprio século 19, os Batistas viam-se como Reformados, sendo esse o fato que deu origem ao Landmarkismo
O Landmarkismo é um movimento circunscrito a um determinado tempo e localidade. Ele nasce no século 19, no sul dos Estados Unidos, entre Igrejas influenciadas por Graves e seus apoiadores. De lá o Landmarkismo veio para o Brasil na “bagagem” de alguns missionários estadunidenses, e hoje sobrevive especialmente no meio de determinados grupos Batistas. Fora desse círculo o Landmarkismo é desconhecido, e quando apresentado e definido, provoca imediato espanto e estranheza. Dentre os cristãos batistas que defendem os pressupostos Landmarkistas, a maioria sequer conhece esse nome e muito menos sua origem. Iludidos, pensam estar defendendo a Bíblia e a história.
· O Landmarkismo e sua grande luta no século 21. No século 19 o Landmarkismo convenceu um grupo de Batistas de que eles não eram reformados. Ironicamente, passados quase dois séculos, o Landmarkismo luta desesperadamente para manter seu “aprisco”. Atualmente o principal esforço Landmarkista é impedir que cristãos batistas sinceros, mas inconscientes, descubram a verdadeira origem Batista na história da Igreja.
Irmãos Batistas, vocês conheciam o landmarkismo?!
Alexandre R. Oliveira. Pastor assistente da Igreja Batista Bíblica de Barretos. Graduado em Teologia. Concluinte do curso de Licenciatura em História.







O que é fé  ?.


bem, vou tentar explicar da maneira mais simples e compreensível. quando adquirimos um bem durável, como um automóvel ou uma casa nova, com o passar do tempo precisamos efetuar revisões periódicas em nosso carro e reformar nossa casa que há anos eram novos a fim de mante-los em boas condições. Ao reformar nossa casa ou dar manutenção em nosso veículo, não quer dizer que estamos mudando o projeto principal na qual foram construídos, mas deixa-los como novos. O mesmo acontece com o cristão, com o passar dos anos seu amor esfria gradualmente fazendo com que cometa todo tipo de heresia possível, aquilo que defendia veementemente pela Palavra, com o passar do tempo deixa de defender e acreditar, o que era errado segundo as Escrituras, passa a ser aceitável e tolerante. A essência da Reforma consiste em fazer o cristão voltar ao seu primeiro amor ( "Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor." (Apocalipse 2 : 4). A Reforma não consiste em mudar o que já foi determinado pelo Senhor através das Escrituras, mas confirma-las ao cristão diariamente, lembrando o de que é Sola Scriptura, ( Somente a Escritura). A grande dificuldade de muitos em digerir o termo "Reforma", é que os grandes precursores dela foram os protestantes que ao terem total contato à Palavra, foram libertos por Ela ( "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." (João 8 : 32), negando as heresias que naquele tempo eram disseminados e creditaram total confiança à Palavra. Foram dentre os que mais sofreram e martirizados foram no defender das Sagradas Escrituras, foram queimados vivos, e fizeram tudo isso, pois foram realmente libertos "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres." (João 8 : 36). Essa é a Alma da Reforma, que possamos amar, batalhar e se necessário for, morrer pelas Escrituras. Que o Eterno nos Ajude nos momentos de difíceis decisões e dias negros que possam nos rondar. Certos de que não estamos sozinhos, prossigamos. "Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém." (Mateus 28 : 20) 



Wilson M. Tristão






PENSE BEM ANTES DE SAIR DE SUA IGREJA


A Bíblia nos mostra que não devemos abandonar a igreja por qualquer motivo muito menos trocar de igreja por qualquer motivos , as escrituras nos ensina que a comunhão santos requer preserverança. e grande esforço. 
E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. Cl.3;13
Não é, portanto a mudança constante de uma igreja para outra e muito menos o total abandono da comunhão dos crentes que solucionaria qualquer problemas.
Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, 1João1;7
Ate mesmo quando Paulo as igrejas marcadas por discórdias , imolaridade e desregramento , jamais ensinou que o descontentes deveria sair da igreja ou buscar a comunhão com outros irmãos pelo contrário ensinaste que estes deveria buscar a união na igreja
O que eu rogo a Evódia e também a Síntique é que vivam em harmonia no Senhor. Fp4;2 
o apostolo Pedro também ensinou para buscar a cordialidade e a união o apostolo jamais orientou alguém deixar a igreja por mais problemática que a igreja seja.
Quanto ao mais, tenham todos o mesmo modo de pensar, sejam compassivos, amem-se fraternalmente, sejam misericordiosos e humildes.
9 Não retribuam mal com mal, nem insulto com insulto; ao contrário, bendigam; pois para isso vocês foram chamados, para receberem bênção por herança. 1 Pe 3;8-9    1 CO 6 7-8 1 CO 1.10 Cl 3. 16-12

Paulo exorta os crentes a estar firme e perseverante

1) Romanos 5.3-5: perseverança em meio à tribulação

2) Romanos 15.4,5: perseverança em meio ao vitupério

3) 2Coríntios 1.6: perseverança em meio ao sofrimento

4) 2Coríntios 6.4: perseverança em meio à aflição

5) 2Coríntios 12.12: perseverança em meio à perseguição, à angústia.12

Quando um membro tende a deixar a sua igreja por motivos que não seja mudança de cidade ou de bairro ou porque que a sua igreja abandonou a sã Doutrina se caracteriza como rebeldia Um desordeiro contumaz (Tt 3.10,11). Trata-se de pessoa facciosa que toma partido dentro da igreja para provocar divisão. Paulo recomenda a evitar a comunhão íntima com eles.
O caso de cristãos bisbilhoteiros (1Ts 4.6-15). Paulo diz aos membros da igreja para evitar a comunhão íntima com eles.

Paulo nos adverte a livra r dos que prejudica a igreja
O orgulho de vocês não é bom. Vocês não sabem que um pouco de fermento faz toda a massa ficar fermentada?
7 Livrem-se do fermento velho, para que sejam massa nova e sem fermento, como realmente são ICo 5 6-7

São como o apóstolo Paulo disse em II Timóteo 3;3 pessoas “IRRECONCILIAVEIS”, não adianta gabinete, pregação, visita etc pois são rebeldes
A pessoa rebelde se recusa a dar ouvidos a Deus ou ao Seu povo e aos seus lideres espirituais

1 Samuel 8:19 Porém o povo não quis ouvir a voz de Samuel. Disseram: Não, mas haverá sobre nós um rei.

Neemias 9:16,17a,26a [Neemias relembrou-se das rebeliões de seus antepassados:] Porém eles, nossos pais, tornaram-se arrogantes e endureceram a sua cerviz, e não deram ouvidos aos teus mandamentos , 17a Recusaram ouvir-te, e não se lembraram das tuas maravilhas, que fizeste entre eles. Endureceram a sua cerviz. … 26a Mas foram desobedientes e se revoltaram contra ti; lançaram a tua lei para trás das costas.

Isaías 30:1 Ai dos filhos rebeldes, diz o Senhor, que tomaram conselho, mas não de mim… para acrescentarem pecado a pecado.

Jeremias 32:33 Viraram para mim as costas, e não o rosto; ainda que eu os ensinava, madrugando e ensinando-os, não deram ouvidos, para receberem o ensino.

Jeremias 44:16 [O povo se rebelou contra as advertências constantes do profeta Jeremias:] Quanto à palavra que nos anunciaste em nome do Senhor, não te obedeceremos!
Zacarias 7:11 Eles, porém, não quiseram atender, e me deram o ombro rebelde, e taparam os ouvidos, para que não ouvissem.

Mateus 23:37 [Jesus lamentou:] Jerusalém, Jerusalém! que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e tu não quiseste!

Atos 7:51-3,57,59a [Os religiosos rebeldes se juntaram achando que, se matassem Estevão, o calariam, depois que ele os desmascarou dizendo:]Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido! Vós sempre resistis ao Espírito Santo, assim vós sois como vossos pais!

52 A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Até mataram os que anteriormente anunciaram a vinda do Justo, do qual vós agora fostes traidores e homicidas. 53 Vós, que recebestes a lei por ordenação de anjos, e não a guardastes. 57 Mas eles gritaram com grande voz, taparam os ouvidos, e se levantaram unânimes contra ele, … 59a E apedrejaram a Estevão.
[Jesus deu as orientações básicas para corrigir as coisas erradas entre os irmãos:]

Mateus 18:15-17 Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só. Se te ouvir, ganhaste a teu irmão. 16 Mas se não te ouvir, leva contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada. 17 E, se não as ouvir, dize-o à igreja; e, se também não ouvir a igreja, considera-o como gentio e cobrador de impostos.
Isaías 63:10 Contudo eles foram rebeldes, e contristaram o seu Espírito Santo. Pelo que se lhes tornou em inimigo.






QUAL TEM SIDO A SUA PRIORIDADE ?

    Nossos dias, meses e anos estão cada vez passando mais rápido. vendo que a cada dia o tempo tem se remido , a dia que parece que não temos tempo para nada.nos ocupamos com tantos afazeres e nos. Preocupamo-nos em fazer uma boa faculdade, em ter uma boa qualificação no mercado de trabalho, em ter uma carreira bem sucedida.Em  agradar a todos , fazer uma boa politica aos vizinhos amigos  etc Dispomos de tempo para tudo. Para um futebol com amigos, umas compras no shopping, um cinema, um jantar importante, uma viagem programada,uma festa de aniversário casamento  e assim vai.Com essa vida corrida sempre temos prioridades diferentes. Prioridades essas, que muitas vezes ficam distorcidas e desajustadas.
 Creio na seguinte ordem de prioridade:
1.Deus,
2.Cônjuge,
3.Filhos,
4.trabalho
5.igreja 

Alguns me perguntam o que acontecerá se essa ordem for invertida? Eu certamente lhe direi que você terá problemas.
 Penso em uma lógica básica. o que vemos em gêneses Deus, em sua infinita soberania, criou homem e mulher para seu louvor e pediu para ter seus filhos. Após isso, precisaram trabalhar, e só depois foi criada a igreja, em seu modelo físico.
 Essa ordem é simples, mas não praticada. Vejo pessoas fazerem coisas importante em seus trabalhos  , e com seu tempo de lazer mas  esquece se de DEUS não se comunica com seu cônjuge e filhos.
 Quanto tempo lhe resta nessa vida? Eu não sei! Mas uma coisa eu tenho certeza: ainda há tempo para fazer o ajuste de suas prioridades. Reavalie seus critérios.
 Não seja culpado por um casamento frustrado, por um filho desgarrado, por uma igreja fraca, pois se deseja ser uma pessoa abençoada em tudo que fizer, busque andar na sequência de prioridades correta. Sendo um excelente cônjuge, um bom pai, uma boa mãe, você seguramente será um bom profissional, um bom amigo, enfim, uma pessoa abençoada.

colocando sempre Deus  como prioridade em sua vida , tudo se ajustara você terá uma família abençoada um bom trabalho , e fara parte de uma igreja abençoada !

tudo e uma questão de prioridade!




A PALAVRA QUE ABRE CAMINHOS


Um leproso  em Cafarnaum, aproximou-se de Jesus e arrojando-se aos

seus pés, bradou:

- Mestre, se queres, podes limpar-me!

Movido de compaixão, Jesus estendendo-lhe as mãos, tocou-o e disse:

- Quero, sê limpo!

A lepra desapareceu, o homem ficou são e em altos brados, pôs-se a externar

a sua alegria e gratidão pelo milagre operado pelo Homem de Nazare. 

A popularidade de Jesus cresceu tanto que ele precisou fugir às multidões,

mudando de residência, pernoitando fora da cidade, fazendo súbitas visitas aos

lares humildes, solicitando pousada. Em Cafarnaum,  hospedou-se em casa de

Pedro. A notícia correu rápida e dentro em pouco a  casa estava cheia de

curiosos. Em todos os aposentos vozeava a inquieta e indisciplinada multidão e

ainda sobrava gente na rua, comprimindo-se de tal modo à porta, que não era

possível entrar nem sair e com esse burburinho formado chegam quatro homens

com um paralítico em seu grabato, desejando uma audiência com Jesus. Juntase o povo ao redor do doente e muitos com sorrisos de mofa dizem:

- Como podereis levá-lo à presença do Rabi, se os próprios sãos não

conseguem penetrar na casa, tamanha é a multidão que se atropela aqui?

O paralítico em lamúrios, grita: Jesus veio para os enfermos e não para os

sãos, permitam-me vê-lo! Eis que surge uma idéia, descer o enfermo pelo teto.

Os homens abrem uma clareira o telhado, pegam em cordas, atam a maca e a

guindam. Na multidão, uns aclamam, outros apupam a iniciativa com barulhada,

outros ficam indiferentes, mesmo assim o paralítico chega até Jesus.

Jesus brinda tanta fé perdoando os pecados do doente o que faz crescer um

murmúrio maledicente entre os fariseus astutos, escribas solertes e traidores que procuram o pretexto de uma frase, para envenenarem a multidão. 

Jesus penetra naqueles pensamentos e comenta:

- Por que arrazoais em vossos corações sobre estas coisas? E, atingindo-os

em cheio, o Mestre age com amor e graça:

- Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem poder para perdoar

pecados, digo a este homem: Levanta-te, toma o teu leito e anda!

Como se fora elétrico, o paralítico pôs-se de pé e  suspendeu o leito. A

multidão recuou, atônita, abrindo passagem. O homem atravessou a porta,

ganhou a rua, e foi para casa exultante. Com que facilidade o homem saiu

daquela casa após a ordem de CURA dada por Jesus. Foi uma ordem oportuna,

autorizada, valorosa e carregada de amor. Antes, o paralítico, mesmo bradando e apelando por misericórdia, não teve acesso à casa pela porta, que era a via

natural. Mas quando Jesus perdoou os seus pecados e curou a sua enfermidade,

o povo temeu e abriu caminhos à verdade, prevalecendo a autoridade do Mestre!

Temos enfrentado lutas, obstáculos e oposições, muitos caminhos se fecham

para que não andemos livremente, certamente porque  estamos conduzindo o

nossas vidas  com a ajuda da força humana, e aliada aos nossos interesses. Na

dificuldade, na luta, no obstáculo, busquemos a Ordem de Jesus, pois ela Abre

Caminhos!

                                          Cleiton Souza






O QUE É PROFECIAS ?

O que é Profecia? Antes de respondermos esta pergunta vamos primeiro pensar no que não é Profecia: Adivinhar o futuro não é Profecia. Uma pessoa que supostamente adivinha o que vai acontecer não é um profeta. Previsões acerca do futuro, ainda que sejam precisas também não são Profecias. Declarações supostamente determinando o que vai acontecer no futuro também não constituem Profecia. A realidade da Profecia não esta em nenhuma destas idéias falsas citadas acima, pois a Profecia pertence exclusivamente ao Deus Eterno. Vejamos porquê:

1º. Profecia é Deus falando o que Ele ira fazer antes de fazer, para que quando acontecer saibamos que Ele é Deus (Is. 46.9,10);

2º. Uma vez que a Profecia pertence exclusivamente a Deus, nossa segunda verdade é que somente na Bíblia existe Profecia (II Pd. 1. 20,21);

3º. Por fim, podemos descansar no fato de que Deus nos revelou tudo o que precisávamos saber acerca de seus planos em sua Palavra (Am. 3.7). Qual a importância da Profecia na vida do crente? (...)Respondendo aquela pergunta deixada no boletim anterior ‘qual a importância da profecia na vida do crente?’. Vamos olhar o que Paulo disse em I Co.14.3. A profecia nos edifica, exorta e consola. Vamos ver como a profecia pode fazer isso. Logo após ensinar a igreja a respeito do arrebatamento, em I Ts. 5.1-11. Paulo continua ensinando os irmãos, mas agora com informações a cerca da vinda do Senhor como‘ladrão da noite’ v.2. A diante no v.4 ele nos fala que esta vinda do Senhor, como ladrão, para juízo, não ira nos surpreender porque nós pertencemos ao dia, ou seja, a igreja já estará com o Senhor quando as trevas chegarem com o anticristo. O crente deve se revestir com esta verdade como uma armadura. Assim a profecia nos estimula a um viver sóbrio, revestida de fé e amor, com plena certeza de salvação v.8. Lembrando sempre que esta preciosa salvação foi comprada para nós por nosso Senhor Jesus Cristo v.9. Tudo isso é revelado para nós com dois propósitos: para nos exortar (animar; encorajar; estimular) em nossa caminhada com o Senhor. E também edificar (construir) em nós o caráter cristão. Falta ainda a consolação, encontramos nos capitulo anterior I Ts. 4.13-17. Onde Paulo revela com detalhes com acontecerá o arrebatamento, esta é a maior esperança da igreja (Tt.2.13) e poderá acontecer a qualquer momento (I Co. 15. 51,52). Os detalhes da profecia são para nos consolar enquanto estamos aguardando I Ts. 4.18.

                                   Pastor Alexandre

.



15 RAZÕES PARA BUSCAR A DEUS...



1. Por que não há nada demasiadamente difícil para o Senhor (Gn.18.14);

2. Por que para Deus, nada é impossível     (Lc.1.17);

3. Por que minha oração sobe como incenso diante de Deus (Ap. 5:8; 8.3);

4. Por que Jesus cultivou uma vida de oração ao Pai (Mc. 1.35; 6.46; Lc. 5.16);

5. Por que a oração é minha ajuda na hora da tentação (Mt. 26.41);

6. Por que a oração é remédio para a aflição da alma (Tg. 5.13);

7. Por que era o segredo do êxito da igreja primitiva (At.1.14);
8. Por que é o meio pelo qual a igreja alcança as suas vitórias (Mt. 18.19);
9. Por que Deus atende as orações (Ed.8.23);
12. Por que Deus me recompensa por isto (Mt. 6.6);
13. Por que ela resultará em bênção no final (Gn. 32:26);
14. Por que obtemos perdão e cura (2Cr. 7:14);

A palavra de Deus diz no livro do profeta Isaías... Buscai a Deus enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto!

Cleiton Souza


JOVENS
Lemos em Rm.12.1,2 o pedido do Apostolo Paulo aos crentes para que fossem “um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus” e no verso 2 ele acrescenta: “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Jovem. Você quer ser uma moça ou um rapaz que é “santo (separado) e agradável a Deus”? Quer conhecer a tão famosa “vontade de Deus” para a sua vida? Então você deve estar disposto a fazer o que diz o verso dois:
“E não sede conformados com este mundo”. Os costumes pecaminosos do mundo não podem influenciar você. Ou seja, você não vai poder ser como as pessoas sem Cristo são. Não vai poder falar como elas (gírias, palavrões, palavras maliciosas), vestir como elas (sensualidade), ou fazer as coisas que elas fazem (pecados). Se formos iguais aos nossos amigos descrentes nunca iremos ser “sal” para a vida deles!
“Mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento”. Um jovem agradável a Deus ira ser diferente porque ele teve sua maneira de pensar renovada pela Palavra de Deus. Por isso ele, ou ela é diferente. Cuidado! Muitos jovens que se dizem “crentes” cantam musicas “cristãs” parecidas com as do mundo, vestindo e falando como os “manos”, cada dia inventando uma nova moda “cristã”, pensam que com isso irão atrair estas pessoas para Cristo. Alguém pensando assim não teve sua mente renovada por Cristo e não foi transformado pela Palavra de Deus. Em I Co.9.22 Paulo diz que fez de tudo para ganhar os descrentes. Isso não quer dizer que podemos misturar os pecados do mundo nas coisas de Deus para alcançar os pecadores, em I Co.5.6,7 o mesmo Paulo diz que “um pouco de fermento leveda toda a massa”, ou seja, um pouco de pecado, um pouco dos costumes do mundo, tira a sua oportunidade de ser um jovem, ou uma moça que agrada a Deus. Queridos jovens! Não existe formula mágica. Para experimentar a boa, perfeita e agradável vontade de Deus você terá que abrir mão da sua própria vontade e confiar, esperando pela vontade do Senhor.
                                   Pastor  Alexandre.


MISSÕES
Missões se tornou um assunto comum entre nós e conseqüentemente os missionários também. Todos os domingos durante o culto à noite lemos uma carta chamada ‘missionária’, onde nossos ‘missionários’ nos mandam  noticias do campo ‘missionário’. Puxa! Quanta ‘missão’! Mas afinal, o que é um missionário? Ninguém melhor do que a Bíblia para responder a esta pergunta. Em Atos 13. 1-3 encontramos a 1ª Missão Organizada na Igreja Primitiva. Apesar de serem apenas três versículos, o texto pode nos ensinar muito sobre o que é este trabalho chamado missões.
1° Um projeto missionário nasce de uma igreja local, aqui no caso a Igreja de Antioquia. Todo missionário deveria sair de uma igreja local v.1,3;
2º Missionários devem ser crentes bem preparados v.1. Note as qualificações dos candidatos a missionário da Igreja de Antioquia: Profetas e Doutores. O dom de profecia era indispensável à igreja primitiva, pois eles ainda não possuíam o Novo Testamento, que estava sendo escrito naqueles dias, por isso ainda precisavam das revelações dos Profetas. Doutores eram homens que conheciam profundamente o Antigo Testamento. Entre os homens que o texto cita certamente alguns eram profetas outros eram doutores. Sabemos que Paulo tinha ambos, tanto o dom da Profecia, quanto o ‘doutorado’ (At.5.34; 22.3. Ef. 3.1-5).
3º É o Espírito Santo quem escolhe alguém para ser missionário, mas note que Ele o faz através da igreja v.2. Você já pensou no potencial da igreja? Havia cinco candidatos: Barnabé, Simeão, Lúcio, Manaem e Paulo. Todos eles capacitados, todos servindo a Deus fielmente. Agora o Espírito Santo retira dois obreiros excelentes para a obra missionária, mas ainda ficam três para continuar trabalhando na igreja.
E por fim no v.3 vemos que é a igreja local quem envia o missionário. Paulo e Barnabé eram missionários da Igreja de Antioquia e prestavam contas a sua igreja (At.14.26-28). A Bíblia mostra como Deus organizou a primeira Missão. A igreja local deve ser missionária, responsável por fazer missões; e o missionário é responsável por fundar outra igreja missionária, que ira continuar a obra. Foi assim que o evangelho chegou até nós. Agora deveríamos perguntar: quem são estes que estão na televisão todos os dias dizendo-se “missionários”. Será que eles passaram pelo mesmo processo que os irmãos Paulo e Barnabé passaram. Não irmãos! Geralmente estas ‘igrejas’ nascem de brigas e divisões em outras igrejas. E na mesma ‘onda’ do desprezo aos preceitos da Palavra de Deus vêm os “apóstolos”, “pastoras” e etc... Mas isso é assunto para o próximo boletim.
PASTOR  ALEXANDRE.

.


DISCIPULADO
Você esta fazendo um discipulado?... Você é um discípulo?... Mas o que isso quer dizer? O dicionário define discípulo como: ‘aquele que recebe ensino de alguém’. Desta forma todos nós somos discípulos de alguém de alguma forma. Por exemplo: quando freqüentamos a escola estamos aprendendo com nossos professores, esta seria uma forma limitada e superficial de discipulado. Como crentes possuímos um significado muito mais profundo para discípulo e discipulado. Vejamos então:
A própria Igreja tem em seu fundamento o discipulado‘ Portanto ide, fazei discípulosde todas as nações,’ ... ‘Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado’ Mt.28.19,20.
Portanto a missão da Igreja não é apenas pregar o Evangelho, salvando assim as pessoas, mas também ensinar os novos convertidos.
Discipulado bíblico é ensino da Palavra de Deus. ‘Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, ’ – na Palavra de Deus; ‘sabendo de quem o tens aprendido – o discipulador.Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;’ – a Bíblia II Tm.3.14-16. Aqui encontramos todos os elementos para o discipulado: o discípulo – Timóteo; os discipuladores – Lóide, Eunice, avó e mãe de Timóteo (I Tm.2.15), e o próprio apostolo Paulo; e o principal, a Palavra de Deus.
O discipulado é a única forma de nos aperfeiçoar.  ‘Para que o homem de Deus sejaperfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. II Tm.3.17. Sem o discipulado não estaremos preparados para a obra de Deus. Antes até de surgir o nome cristão os seguidores de Jesus já eram chamados de discípulos ‘e em Antioquia foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos. ’ At.11.26. A maioria das pessoas aceita prontamente o nome de ‘cristão’, mas os cristãos originais eram seguidores de Cristo, eram seus discípulos, será que se pode dizer o mesmo dos cristãos de hoje? O alvo de todo cristão, tanto do discipulador quanto do discípulo deveria ser parecer-se com seu Senhor ‘Sede meus imitadores, como também eu de Cristo. ’ I Co.11.1
Devemos dar graças a Deus por aqueles irmãos e irmãs que Ele usou ao longo da vida para nos discípular, mas acima de tudo esta o Senhor Jesus Cristo, que prometeu estar com sua Igreja nesta importante tarefa ‘e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.’ Mt.28.20.
pastor Alexandre.



NÃO FIQUEM PRESO AO PASSADO
"E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus." (Lucas 9 : 62).
Muitas pessoas erram na caminhada com o Senhor Jesus Cristo por ficarem presas no passado, atreladas a costumes e tradições. o Senhor Jesus repreendeu veementemente os fariseus porque estes estavam convencidos de que praticando boas obras, ganhariam sua Salvação, mas Jesus definiu diretamente, no Evangelho de Marcos, quando os fariseus e escribas indagaram a Jesus:
"Depois perguntaram-lhe os fariseus e os escribas: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos antigos, mas comem o pão com as mãos por lavar?" (Marcos 7:5)
Como resposta, Jesus os fustigou:
"E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição." (Marcos 7:9)
Que tragédia ! colocando as tradições acima da Palavra de Deus, os fariseus haviam certamente rejeitado o mandamento de Deus.
Não importa se você é um novo convertido, ou um velho convertido, desde que você não faça de seus dogmas e tradições próprias, a base de sua fé em Cristo.
façamos como o apostolo Paulo em suas Palavras em Filipenses 3:13-14
"Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus."
Que o Eterno os Abençoe através de sua infalível Palavra.
Wilson M. Tristão


A ORDEM DA SALVAÇÃO
Quando em teologia falamos da "ordem da salvação," ou ordo salutis estamos falando das diferentes partes da salvação como elas são aplicadas e dadas ao povo de Deus pelo Espírito Santo. Em outras palavras, a "ordem da salvação" descreve a obra do Espírito de Deus em nós. A ordo salutis é o entendimento padrão de como Deus aplica a redenção em Seu povo. Quando se diz que uma pessoa particular foi ou é "salva", o termo é freqüentemente usado sem a profundidade da Escritura ou sem uma apreciação da graça de Deus. A Bíblia é muito clara de que os crentes são salvos pela graça, e estas doutrinas especificam os modos nos quais esta graça é manifesta em e através do crente. A Escritura define vários diferentes aspectos ou passos da salvação de uma pessoa, desde o primeiro ouvir do Evangelho até o caminho para a eternidade no céu. Cada um desses aspectos se coincide, visto que todos eles são partes da salvação de uma pessoa, mas eles também mantêm suas características distintivas nas Escrituras e no plano redentor. Deus aplica esta redenção no tempo àqueles que Ele escolheu desde toda a eternidade. E é Deus quem escolhe, chama, regenera, converte, justifica, adota como filhos, santifica, sustenta em nossa caminhada e nos glorifica. A Salvação é obra totalmente de Deus. É graça, favor imerecido. É Deus quem toma a iniciativa, é Deus quem vem ao nosso encontro, e é Deus quem sustenta nossa vida até o fim. Quando entendemos a ordo salutis, ou ordem da salvação entendemos que não é a nossa performance que vai nos tornar aceitos por Deus. Não é o que eu faço que vai fazer Deus me salvar. Eu tenho sim responsabilidades, coisas para fazer, mas essas coisas não determinam a minha salvação. O que eu faço é em resposta a algo que já foi feito por Deus em mim.Essa doutrina deve nos tirar do pedestal, nos tirar do centro do universo, e colocar o único que é o centro de todas as coisas: DEUS! Precisamos nos humilhar, colocar os joelhos no chão, clamar por misericórdia e agradecer a Deus por tamanha obra que Ele realizou em nossas vidas. Devemos lembrar que essa é apenas uma tentativa de entender esses conceitos bíblicos e de forma alguma deve ser entendido mecanicamente, como se primeiro recebêssemos uma bênção, então a próxima, e assim por diante. O fato é que em nossa experiência, muitas dessas bênçãos são recebidas ao mesmo tempo. Também, muitas delas não são acontecimentos espirituais de uma vez por todas. A santificação, por exemplo, é algo que começa quando uma pessoa é primeiramente salva e continua até o próprio momento da morte. A aplicação da salvação não acorre toda de uma vez por todas, mas é algo que dura toda a vida—algo finalizado somente quando estamos finalmente com Cristo no céu. Isto é, sem dúvida, negado por aqueles que crêem no perfeccionismo e na santificação completa; eles tendem a ver a aplicação da salvação como uma coisa de uma vez por todas.
Numa ordem da salvação  existem várias coisas que devem ser enfatizadas e não podem ser mudadas. A regeneração e o chamado eficaz devem vir antes da fé, caso contrário temos a fé como uma obra do homem. A própria fé deve vir antes da justificação para manter a grande verdade Protestante da justificação pela fé somente. Finalmente, a justificação deve preceder a santificação, caso contrário temos a doutrina Romana da justificação pelas obras.
Tudo isso é somente dizer que a única coisa que qualquer ordem da salvação deve ensinar é que também em sua aplicação, a salvação é inteiramente a obra do próprio Deus através das operações soberanas do Espírito Santo. É tudo de graça e, portanto, pertence "ao Senhor" (Jonas 2:9).
Eleição: Deus, em sua soberania e presciência, escolhe, antes da fundação do mundo, aqueles pecadores que seriam salvos pela graça.
Chamado: Deus, pela proclamação da Palavra, chama aqueles que Ele mesmo escolheu, e estes respondem com fé salvadora, que o próprio Deus gera no coração do homem.
Regeneração: Deus aplica o novo nascimento, ou seja, concede vida ao que foi chamado, que outrora estava morto em seus delitos e pecados.
Conversão: Deus move nosso coração e mente para responder positivamente ao chamado do evangelho, arrependendo-nos dos pecados e colocando nossa fé em Cristo.
Justificação: Deus nos declara justos, perdoando os nossos pecados e imputando a justiça de Cristo a nós.
Adoção: Deus nos adota como filhos, nos tornando membros de sua família. Agora não mais escravos de satanás, mas filhos de Deus.
Santificação: Deus, a cada dia vai nos tornando mais santos, conforme a imagem de Jesus Cristo, a medida que renunciamos o pecado. É um trabalho de Deus, mas que nós temos nossa responsabilidade também.
Perseverança: Deus é que vai nos sustentar durante nossa caminhada aqui na terra. Todos aqueles que foram regenerados e justificados por Deus, irão perseverar até o fim de suas vidas.
Glorificação: Deus finalmente vai remover todo vestígio e traços do pecado que ainda permanece em nós, e vai nos dar um corpo glorificado, ressurreto.
E aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou. (Romanos 8.30)

Cleiton Silva Souza


</
b>

Nenhum comentário:

Postar um comentário